Partilhe esta página:

lxciac-pattern-Round L
lxciac-pattern-Lines 3-2 H
lxciac-pattern-Lines 2-1 V
Marionetas, Teatro
Museu da Marioneta

Imaginação em movimento

4 a 20 Outubro
Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Cuba, Espanha

O Museu da Marioneta desafiou várias companhias a apresentarem, em Lisboa, o que de mais recente e contemporâneo se tem feito nos países da América Latina na área do teatro de objetos, de marionetas e de formas animadas. Numa programação artisticamente diferenciada e plural, a magia da animação - que é o centro desta forma de arte – é explorada nesta série de espetáculos, através de diferentes perspectivas e recursos artísticos, partindo de diferentes relações entre o corpo do ator/manipulador e o objeto a que dá vida e alma.

TEATRO DE MARIONETAS, VÁRIAS TÉCNICAS
A VINGANÇA DE RICARDO
COMPANHIA VIAJEINMÓVIL (CHILE)
4 e 5 OUT
Quarta e quinta, às 21h30
Duração 45’
Maiores de 8 anos

Ricardo é um jovem com deformidades físicas, aparentemente tímido e retraído, sendo, por isso, vítima de maus-tratos físicos e psicológicos por parte dos seus colegas da escola. Ricardo encheu-se de ódio e rancor e concebeu um plano para se vingar. O plano de Ricardo necessita de uma oportunidade, que chega quando um grupo de alunos do oitavo ano contagiados pela febre social que afeta o país, decide tomar o colégio por uma noite.

Tomando a estrutura central de Ricardo III de William Shakespeare, a companhia Viajeinmóvil criou um espetáculo familiar centrado na temática do bullying e nas dramáticas consequência que dele podem resultar.

O espetáculo mistura marionetas e atores num jogo de sincronia e de dissociação. Utiliza o suporte audiovisual através de quatro camaras que captam em direto os movimentos, fugas e perseguições a que Ricardo submete os seus companheiros. A banda sonora é musicada ao vivo a cinco vozes. Todo o conjunto procura submergir o espetador num conto de terror moderno que se alimenta de histórias do passado e que pretende que jovens e adolescentes tenham uma experiência teatral profunda centrada no tema de maus-tratos na escola.

DANÇA CONTEMPORANEA E MARIONETA
O BRAILE, UMA DANÇA ÀS CEGAS
CIA PEQUOD / DUDA PAIVA (BRASIL)
6 e 7 OUT
Sexta e sábado, às 21h30
Duração 20’
Aconselhado a maiores de 10 anos

Partindo dos temas propostos pelo escritor italiano Italo Calvino no seu livro Seis Propostas para o Próximo Milénio, Miguel Vellinho convidou os coreógrafos Bruno Cezario, Cristina Moura, Marcia Rubin, Paula Nestorov e Regina Miranda para criarem coreografias a serem executadas pelos bonecos. As partituras construídas extrapolam os limites do movimento humano e o espetáculo, composto por quadros, destaca-se pela precisa movimentação técnica dos manipuladores, revelando muitas camadas deste pas-de-deux entre a dança e o teatro de animação, inspirado na literatura.
Por tudo isto, Duda Paiva pareceu ser o artista perfeito para colaborar neste momento com a PeQuod e dar continuidade na sua pesquisa em busca de uma conexão mais profunda entre objeto e manipulador, em prol do movimento poético e fluido. Há vinte anos radicado em Amsterdão, na Holanda, Duda Paiva é um dos pioneiros de um novo conceito que mescla dança contemporânea e manipulação de marionetes clássica, usando o movimento e a voz como instrumentos narrativos dentro da coreografia.

TEATRO DE MINIATURAS /FORMAS ANIMADAS
TRILOGÍA LIBRE EN LAMBE LAMBE (SWING + AFUERA + SABIDURÍA)
OANI (CHILE)
7 e 8 OUT
sábado e domingo

O teatro lambe-lambe, também conhecido como teatro de miniaturas, é uma linguagem de formas animadas que ocupam um espaço cénico mínimo, formado por um palco em miniatura confinado a uma caixa preta de dimensões reduzidas. Nesse espaço são apresentadas peças teatrais de curtíssima duração através da manipulação de bonecos, para um espetador por vez.

SWING
> 8 anos – dois espetadores por apresentação
7 e 8 Out | Local e horários a confirmar

Um espetáculo baseado no estilo jazzístico da improvisação. Num ambiente dos anos 40, vemos uma mulher, os seus estados de alma e como a música muda as emoções.

AFUERA
> 10 anos – dois espetadores por apresentação
7 e 8 Out | Local e horários a confirmar

Há um momento examinado na vida de um ser humano por ter uma importância não maior que outros. Este ser plasma as suas sensações numa pintura que generosamente partilha com os espetadores.

SABIDURÍA
> 8 anos – dois espetadores por apresentação
7 e 8 Out | Local e horários a confirmar

Guiado pelo seu instinto, um menino chinês escuta e é chamado a descobrir um novo mundo. Espera-o uma menina mapuche. Duas culturas em comunhão potenciam a sabedoria.

MARIONETAS DE LUVA
ROBERTOS
ROBERTEIROS PORTUGAL
7 e 8 OUT
Pela cidade e museu

DOM ROBERTO faz parte da grande família de marionetas europeia de POLICHINELOS. Representante maior do teatro popular de marionetas, esta grande família tradicional de pequenos heróis nasceu em Nápoles, durante o Renascimento, e enraizou-se profundamente nos tecidos das cidades que conquistou, constituindo-se como um património vasto de personagens e de histórias, mas também das tradições e crenças dos seus povos, traduzindo alguns dos seus traços mais populares, peculiares e recônditos.
DOM ROBERTO é reconhecido como a marioneta de luva portuguesa, uma personagem vivaz, muito simples, com nariz pequeno e traços faciais toscamente pintados; costuma usar bigodinho.
Esta forma teatral estava quase esquecida no final do século XX: o TEATRO DE DOM ROBERTO foi recuperado por João Paulo Seara Cardoso (1950-2010), que o aprendeu com o mestre António Dias.
Na MARATONA DE ROBERTOS serão apresentados sucessivos espectáculos de Robertos, apresentados por diversos bonecreiros activos em Portugal, com as suas pequenas tendas de fantoches.

MARIONETAS DE LUVA
MAMULENGOS
8 OUT
CLAUSTRO / CAPELA

Mamulengo é o espectáculo tradicional de marionetas do Nordeste Brasileiro, representante da família europeia de Polichinelos. Os seus textos são normalmente improvisados e as marionetas de luva são animadas por uma só pessoa.

FILME
MAMULENGO – NAS LINHAS DA MÃO
8 OUT
Duração 15’ (com repetição)
Público adulto

Tratam-se os aspetos que constroem a relação entre o ator-bonequeiro e o boneco manipulado, no teatro de bonecos, a partir das experiências de marionetistas do grupo mineiro, Giramundo, durante os ensaios e apresentações da turnê da Trilogia do Mundo Moderno. Entre os entrevistados estão integrantes do Giramundo, Fernanda Takai e John Ulhoa, do Pato Fu, que compuseram a banda sonora e deram as vozes a alguns dos personagens do espetáculo mais recente do grupo.

TEATRO DE MARIONETAS
OFÍCIO DE DIFUNTOS
JABRU TÍTERES (COLÔMBIA)
12 e 13 OUT
Quinta e sexta, às 21h30
Duração 50’
Adolescentes e adultos

Como habitantes da cidade vivemos, convivemos, sentimos e assistimos constantemente, sem sermos convidados, a cenários tecidos de morte. Porque a morte não é apenas o ato. Também morremos se desaparecermos, se nos abandonarem, nos deixarem, nos rejeitarem.
Histórias que se interligam em vários quadros com personagens e temas relacionados com a morte, seja direta ou indiretamente, uma linguagem da qual os fantoches carregam os fios no meio da oração, do silêncio e o rito de irrealidade.

TEATRO DE MARIONETAS
PESCADORES
SILENCIO EL BLANCO (CHILE)
14 e 15 OUT
Sábado, às 21h30 e domingo, às 16h00
Duração 40‘
Maiores de 6

Silencio Blanco é uma companhia de teatro que trabalha e investiga uma linguagem própria com marionetas brancas de papel e atua em silêncio. Defende que o movimento humano, transmitido a uma marioneta, tem suficiente capacidade expressiva para contar uma história, provocando uma ilusão no espectador, sem necessidade de recurso a palavras.
Pescadores apresenta a saída de um pescador ao mar, seguindo o rito da sua preparação e a sua emoção, todas as manhãs ao embarcar.
Frente a um naufrágio, o pescador está só e perdido. Recorre então à sua própria natureza de marioneta de papel na busca de um resgate.

TEATRO DE MARIONETAS
EL ALMA DEL PUEBLO
TÍTERES ETECETERA (ESPANHA / CUBA)
19 e 20 OUT
Quinta e sexta, às 21h30
Público adulto

Yanisbel, uma especialista e defensora dos bonecos, entra em cena a falar sobre tradições ameaçadas, professores sem alunos, colecionadores, sobre formas de construir os bonecos e de transmitir aos jovens o ofício, de acordo com as diferentes culturas.
Para ajudar a Yanisbel, um membro da companhia, JFJ é encarregado de apresentar as imagens de vídeo, mas não se contenta com o ’ligar o botão‘, quer agir, tocar ao vivo.
Do écran emergem também bonecos de diferentes lugares do mundo: um calau, um marotte da tradição do Mali, chega logo às mãos de Yanisbel uma fada vietnamita que dança sobre a água é se coloca no centro da cena, onde se cria uma rica conspiração entre uns planos de realidade e outros.